ATUAÇÃO

Mogi das Cruzes recebe 300 apartamentos do Morar Bem, Viver Melhor

7 de agosto de 2017

O secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, entregou nesta segunda-feira (7/8) 300 moradias do Morar Bem, Viver Melhor para famílias de baixa renda em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. As unidades do Condomínio Residencial Manacá são resultado de uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Casa Paulista, e o programa federal Minha Casa, Minha Vida.
“Este é um residencial completo, com toda a infraestrutura necessária. Os moradores terão acesso a uma UPA (Unidade de Pronto-atendimento), creche e uma escola. Os equipamentos estão posicionados bem próximos ao empreendimento. Tudo isso é resultado da boa política habitacional que São Paulo oferece por meio da Casa Paulista, em parceria com a Prefeitura e o Governo Federal”, disse o secretário Rodrigo Garcia.

Anne Caroline, ao lado do marido Diego Rafael, de 27 anos, e da filha, Gabriela, de 4 anos, comemorou o seu aniversário de 32 anos, recebendo sua casa própria. “Deus foi tão justo com a gente que me presenteou uma casa. É um sonho realizado para mim e minha família”, afirmou.

O investimento do Estado de São Paulo nos 300 apartamentos, a fundo perdido, é de R$ 3,8 milhões, equivalente a R$ 12,8 mil por moradia. Esse investimento complementa os recursos na construção das moradias. A Caixa Econômica Federal e a construtora Cury são os agentes promotores. O investimento federal é de R$ 22,8 milhões, totalizando R$ 26,6 milhões investidos na obra. “A união da Prefeitura com o Governo Federal e o Estadual foi o que permitiu a entrega destes 300 novos apartamentos”, disse o prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo.

Os apartamentos têm área total de 55,72 m² e área útil de 49,96 m², dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. As novas unidades respeitam e incorporam as melhorias estabelecidas como diretrizes de qualidade da Secretaria de Estado da Habitação, com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos nas paredes da cozinha e do banheiro, medição individualizada de água, acessibilidade, entre outras melhorias.

Todas as moradias foram destinadas a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil, público-alvo da Casa Paulista, um dos braços operacionais da Secretaria de Estado da Habitação. Os beneficiados, que não podem ter participado anteriormente de programa habitacional, têm 120 meses para quitar o imóvel em prestações que variam entre R$ 80 e R$ 270, dependendo da renda mensal familiar.

As 300 moradias do Residencial Manacá fazem parte de um empreendimento com 1.240 unidades. Em março, foram entregues 420 moradias dos residenciais Itapety e Ipê. As demais 520 unidades do condomínio, que são dos residenciais Tietê e Maitaca, estão em obras. No total, a Casa Paulista viabilizou 1.840 moradias em Mogi das Cruzes, com aporte de R$ 27,8 milhões. Outras 600 moradias, nos residenciais Apoema 1 e 2, foram entregues em setembro do ano passado.

De acordo com estudo realizado pela CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo, outro braço operacional da Secretaria de Estado da Habitação, são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale a 385 empregos diretos criados pela obra entregue nesta segunda etapa. Desde 2011, foram 29.581 moradias populares entregues na região Metropolitana, por meio da CDHU e da Casa Paulista. Outras 25.173 habitações de interesse social estão sendo construídas.

Casa Paulista
A Agência Casa Paulista foi criada em setembro de 2011, pelo Governo do Estado de São Paulo, para fomentar a habitação de interesse popular e acelerar o atendimento à demanda habitacional em território paulista. Classificada como marco substancial de mudança na política habitacional em São Paulo, estabelece parcerias, capta recursos junto a governos, agentes financeiros e iniciativa privada e destina subsídios e microcréditos para viabilizar ou melhorar as condições de moradias para famílias de baixa renda, especialmente entre um e cinco salários mínimos.

No dia 12 de janeiro de 2012, o Governo do Estado selou parceria com o Governo Federal para a viabilização de mais 100 mil novas moradias no Estado paulista, meta superada em dezembro de 2014. A parceria é executada pela Casa Paulista e pelo Programa Minha Casa, Minha Vida. Os agentes financeiros executores são a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Morar Bem, Viver Melhor
O Morar Bem, Viver Melhor é a Política Habitacional do Estado de São Paulo. Reúne todas as ações e investimentos da Secretaria de Estado da Habitação, como infraestrutura, urbanização, requalificação, acessibilidade, qualidade das construções e equipamentos, cuidados com o meio ambiente, inovações e qualidade de vida para as famílias atendidas.

COMENTÁRIOS (0)

Desejo receber os boletins informativos de Rodrigo Garcia.

ATUAÇÃO

Mogi das Cruzes recebe 300 apartamentos do Morar Bem, Viver Melhor

O secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, entregou nesta segunda-feira (7/8) 300 moradias do Morar Bem, Viver Melhor para famílias de baixa renda em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. As unidades do Condomínio Residencial Manacá são resultado de uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Casa Paulista, e o programa federal Minha Casa, Minha Vida.
“Este é um residencial completo, com toda a infraestrutura necessária. Os moradores terão acesso a uma UPA (Unidade de Pronto-atendimento), creche e uma escola. Os equipamentos estão posicionados bem próximos ao empreendimento. Tudo isso é resultado da boa política habitacional que São Paulo oferece por meio da Casa Paulista, em parceria com a Prefeitura e o Governo Federal”, disse o secretário Rodrigo Garcia.

Anne Caroline, ao lado do marido Diego Rafael, de 27 anos, e da filha, Gabriela, de 4 anos, comemorou o seu aniversário de 32 anos, recebendo sua casa própria. “Deus foi tão justo com a gente que me presenteou uma casa. É um sonho realizado para mim e minha família”, afirmou.

O investimento do Estado de São Paulo nos 300 apartamentos, a fundo perdido, é de R$ 3,8 milhões, equivalente a R$ 12,8 mil por moradia. Esse investimento complementa os recursos na construção das moradias. A Caixa Econômica Federal e a construtora Cury são os agentes promotores. O investimento federal é de R$ 22,8 milhões, totalizando R$ 26,6 milhões investidos na obra. “A união da Prefeitura com o Governo Federal e o Estadual foi o que permitiu a entrega destes 300 novos apartamentos”, disse o prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo.

Os apartamentos têm área total de 55,72 m² e área útil de 49,96 m², dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. As novas unidades respeitam e incorporam as melhorias estabelecidas como diretrizes de qualidade da Secretaria de Estado da Habitação, com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos nas paredes da cozinha e do banheiro, medição individualizada de água, acessibilidade, entre outras melhorias.

Todas as moradias foram destinadas a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil, público-alvo da Casa Paulista, um dos braços operacionais da Secretaria de Estado da Habitação. Os beneficiados, que não podem ter participado anteriormente de programa habitacional, têm 120 meses para quitar o imóvel em prestações que variam entre R$ 80 e R$ 270, dependendo da renda mensal familiar.

As 300 moradias do Residencial Manacá fazem parte de um empreendimento com 1.240 unidades. Em março, foram entregues 420 moradias dos residenciais Itapety e Ipê. As demais 520 unidades do condomínio, que são dos residenciais Tietê e Maitaca, estão em obras. No total, a Casa Paulista viabilizou 1.840 moradias em Mogi das Cruzes, com aporte de R$ 27,8 milhões. Outras 600 moradias, nos residenciais Apoema 1 e 2, foram entregues em setembro do ano passado.

De acordo com estudo realizado pela CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo, outro braço operacional da Secretaria de Estado da Habitação, são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale a 385 empregos diretos criados pela obra entregue nesta segunda etapa. Desde 2011, foram 29.581 moradias populares entregues na região Metropolitana, por meio da CDHU e da Casa Paulista. Outras 25.173 habitações de interesse social estão sendo construídas.

Casa Paulista
A Agência Casa Paulista foi criada em setembro de 2011, pelo Governo do Estado de São Paulo, para fomentar a habitação de interesse popular e acelerar o atendimento à demanda habitacional em território paulista. Classificada como marco substancial de mudança na política habitacional em São Paulo, estabelece parcerias, capta recursos junto a governos, agentes financeiros e iniciativa privada e destina subsídios e microcréditos para viabilizar ou melhorar as condições de moradias para famílias de baixa renda, especialmente entre um e cinco salários mínimos.

No dia 12 de janeiro de 2012, o Governo do Estado selou parceria com o Governo Federal para a viabilização de mais 100 mil novas moradias no Estado paulista, meta superada em dezembro de 2014. A parceria é executada pela Casa Paulista e pelo Programa Minha Casa, Minha Vida. Os agentes financeiros executores são a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Morar Bem, Viver Melhor
O Morar Bem, Viver Melhor é a Política Habitacional do Estado de São Paulo. Reúne todas as ações e investimentos da Secretaria de Estado da Habitação, como infraestrutura, urbanização, requalificação, acessibilidade, qualidade das construções e equipamentos, cuidados com o meio ambiente, inovações e qualidade de vida para as famílias atendidas.

COMENTÁRIOS (0)

Desejo receber os boletins informativos de Rodrigo Garcia.