ATUAÇÃO

Rodrigo entrega 36 casas em Oscar Bressane

30 de junho de 2017

O secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, entregou nesta sexta-feira (30/6) 36 casas do Morar Bem, Viver Melhor em Oscar Bressane, região de Marília. As 36 novas moradias do Conjunto Habitacional Luiz Lopes Ferreira, que foi viabilizado por meio da CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo, tiveram investimento de R$ 3,9 milhões.

“O nosso trabalho de construir casas está sendo um grande esforço diante de uma crise muito forte que o País enfrenta. Em São Paulo, estamos conseguindo dar continuidade aos trabalhos e mantemos, aproximadamente, 72 mil obras em andamento, em mais de 200 cidades”, disse o secretário Rodrigo Garcia.

As casas da Companhia, todas com aquecimento solar, têm dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço distribuídos em 56,67 m² de área construída. Os imóveis possuem piso cerâmico e laje em toda a edificação, azulejos no banheiro e na cozinha, esquadrias de alumínio e cobertura em estrutura metálica.

“Era o que faltava em nossas vidas. Depois de muitas preocupações e morando nos fundos da casa da minha mãe, que eu agradeço muito por ter acolhido minha família num momento de nossas vidas, agora, a gente tem a nossa própria casa. É um sonho de muitos anos que se tornou real. Só tenho a agradecer a essa nova fase que vamos enfrentar”, afirmou Rosana Maria de Souza, de 47 anos, que irá morar com as suas filhas Jaine de Souza, 21 anos, e Geovana de Souza, 22 anos.

Dessas 36 unidades, três são destinadas a pessoas com deficiência, duas  a idosos, uma a policiais e agentes penitenciários, uma a indivíduos sós  e as restantes à população em geral. As famílias beneficiadas foram selecionadas por meio de sorteio público, realizado em março deste ano.

“O momento tão esperado chegou. Com muito empenho e apoio da Secretaria da Habitação, conseguimos realizar o sonho dessas 36 famílias que agora não dependerão mais do aluguel”, disse o prefeito de Oscar Bressane, Luiz Antônio Romano.

A infraestrutura do residencial oferece muros de divisa entre os lotes, infraestrutura urbana, redes de água e esgoto doméstico, rede elétrica e iluminação pública, drenagem, pavimentação asfáltica, guias, sarjetas e paisagismo.

Neste conjunto, 97% das famílias que receberão as chaves dos imóveis ganham até três salários mínimos e irão desembolsar 15% dos rendimentos nas prestações. Os contemplados terão prazo de até 25 anos para quitar o financiamento habitacional. As prestações serão subsidiadas pelo Governo do Estado e calculadas de acordo com a renda familiar. O valor da menor prestação é de R$ 140,55.

A CDHU atende famílias com renda entre um e dez salários mínimos, priorizando as que recebem até três. Outros requisitos para participar do programa são: morar ou trabalhar no município há pelo menos cinco anos, não ser proprietário de imóvel e não ter financiamento habitacional.

De acordo com estudo realizado pela CDHU, são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale a 56 empregos diretos criados pela obra dessas unidades. Desde 2011, a região administrativa de Marília recebeu 4.971 moradias, por meio da CDHU e da Casa Paulista, bracoes operacionais da Secretaria da Habitação. Além disso, há 1.087 habitações de interesse social em construção.

COMENTÁRIOS (0)

Desejo receber os boletins informativos de Rodrigo Garcia.

ATUAÇÃO

Rodrigo entrega 36 casas em Oscar Bressane

O secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, entregou nesta sexta-feira (30/6) 36 casas do Morar Bem, Viver Melhor em Oscar Bressane, região de Marília. As 36 novas moradias do Conjunto Habitacional Luiz Lopes Ferreira, que foi viabilizado por meio da CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo, tiveram investimento de R$ 3,9 milhões.

“O nosso trabalho de construir casas está sendo um grande esforço diante de uma crise muito forte que o País enfrenta. Em São Paulo, estamos conseguindo dar continuidade aos trabalhos e mantemos, aproximadamente, 72 mil obras em andamento, em mais de 200 cidades”, disse o secretário Rodrigo Garcia.

As casas da Companhia, todas com aquecimento solar, têm dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço distribuídos em 56,67 m² de área construída. Os imóveis possuem piso cerâmico e laje em toda a edificação, azulejos no banheiro e na cozinha, esquadrias de alumínio e cobertura em estrutura metálica.

“Era o que faltava em nossas vidas. Depois de muitas preocupações e morando nos fundos da casa da minha mãe, que eu agradeço muito por ter acolhido minha família num momento de nossas vidas, agora, a gente tem a nossa própria casa. É um sonho de muitos anos que se tornou real. Só tenho a agradecer a essa nova fase que vamos enfrentar”, afirmou Rosana Maria de Souza, de 47 anos, que irá morar com as suas filhas Jaine de Souza, 21 anos, e Geovana de Souza, 22 anos.

Dessas 36 unidades, três são destinadas a pessoas com deficiência, duas  a idosos, uma a policiais e agentes penitenciários, uma a indivíduos sós  e as restantes à população em geral. As famílias beneficiadas foram selecionadas por meio de sorteio público, realizado em março deste ano.

“O momento tão esperado chegou. Com muito empenho e apoio da Secretaria da Habitação, conseguimos realizar o sonho dessas 36 famílias que agora não dependerão mais do aluguel”, disse o prefeito de Oscar Bressane, Luiz Antônio Romano.

A infraestrutura do residencial oferece muros de divisa entre os lotes, infraestrutura urbana, redes de água e esgoto doméstico, rede elétrica e iluminação pública, drenagem, pavimentação asfáltica, guias, sarjetas e paisagismo.

Neste conjunto, 97% das famílias que receberão as chaves dos imóveis ganham até três salários mínimos e irão desembolsar 15% dos rendimentos nas prestações. Os contemplados terão prazo de até 25 anos para quitar o financiamento habitacional. As prestações serão subsidiadas pelo Governo do Estado e calculadas de acordo com a renda familiar. O valor da menor prestação é de R$ 140,55.

A CDHU atende famílias com renda entre um e dez salários mínimos, priorizando as que recebem até três. Outros requisitos para participar do programa são: morar ou trabalhar no município há pelo menos cinco anos, não ser proprietário de imóvel e não ter financiamento habitacional.

De acordo com estudo realizado pela CDHU, são criados 14,5 empregos diretos a cada R$ 1 milhão investido em construção residencial, o que equivale a 56 empregos diretos criados pela obra dessas unidades. Desde 2011, a região administrativa de Marília recebeu 4.971 moradias, por meio da CDHU e da Casa Paulista, bracoes operacionais da Secretaria da Habitação. Além disso, há 1.087 habitações de interesse social em construção.

COMENTÁRIOS (0)

Desejo receber os boletins informativos de Rodrigo Garcia.